top of page

Como ser criativo em empresas tradicionais?

O mercado de trabalho pede INOVAÇÃO. Estamos vivendo um momento de quebra de paradigmas e reinventar procedimentos operacionais passou a ser vital para empresas que querem ter os melhores profissionais em suas equipes.


Como construir um ambiente criativo dentro de empresas tradicionais também é a pergunta que estamos tentando nos responder. Este texto não tem o objetivo de expor teoricamente a questão e sim compartilhar informações de profissionais que estão diariamente trabalhando novos formatos para que humanização e lucratividade estejam na mesma sintonia criativa.



Segundo diversos livros de História a partir de 1760 o mundo foi sendo apresentando a uma transição para novos processos de manufatura, que foi chamado de Revolução Industrial. Vários historiadores apontam a esta revolução toda uma nova construção de sociedade, dos próximos acontecimentos até 1840, que perduram em sua essência até hoje.


O processo produtivo que era manufatureiro, com a chegada das máquinas passou a ser mais disciplinado, com divisão do trabalhado. E a ideia de controle, para gerar resultado, foi tornando-se uma verdade inquestionável.


Surgiram novas classes sociais, de um lado o burguês e na outra ponta o proletariado. As cidades se estabelecem como espaço ideal para quem queria estar perto das oportunidades industriais. Surgem as aglomerações precárias de moradia nos cortiços e as fábricas como locais dominantes da única forma de acesso ao trabalho e a dignidade.


Com as máquinas à vapor e as estradas de ferro a circulação de pessoas e mercadorias, ganha velocidade, nunca antes experimentada. E isto, era modernidade e progresso.


Muitas décadas se passaram dentro do conceito implementado pela Revolução Industrial e o modelo de mundo que muitos acreditavam que traria riqueza para os merecedores trabalhadores esforçados, trouxe entre outras coisas uma eterna sensação de falta de tempo.


A sociedade ficou escrava das horas marcadas no relógio e o tempo virou Senhor Supremo de todo e qualquer individuo, seja na condição de proletário ou de burgues, de funcionário ou de patrão.


Na segunda metade do seculo XX, a sensação de falta de tempo vivida por todos foi premiada com um movimento no comercio em geral, mas principalmente na forma de se alimentar chamado fast food. O conceito foi pensado para pessoas que não têm muito tempo, comerem rapidamente. Esse movimento do "estilo da pressa" é caracterizado pela padronização, por processos mecanizados para facilitar repetição e uma logística eficaz. Tudo para que o consumo seja visto como acessível, criando uma ideia empática de que todos precisam ter pressa nas decisões, atos e movimentos.


Ao citar o movimento do "estilo da pressa", quero aqui exemplificar o conceito que é repetido sem raciocínio critico pela maioria da sociedade atual. E salientar que todos os trabalhadores atuantes no mercado são protagonistas e expectadores deste movimento.


Na contramão deste processo alguns profissionais da área de saúde e cuidado pessoal, vem alertando para que movimentos que contraponham a ditadura do relógio, sejam implantados nos ambientes coletivos, principalmente os relacionados ao trabalho.


Muito recentemente o termo para designar a atual transição é Indústria 4.0. as mudanças exigidas mostram que as tendências nos levam a promover o autodesenvolvimento. Criatividade passou a ser um diferencial.


A Selleste Economia Criativa vem ao longo das consultorias encontrando ferramentas, aplicando experimentos e analisando amostras que desenvolvam a humanização na operacionalidade industrial e de prestação de serviços. O objetivo é criar formas de obter resultados sem perder a individualidade, a criatividade e a eficiência tanto desejada nas frentes de linha de produção.


Foi desta observação que surgiu o projeto Criativo Selleste. Neste projeto as empresas contam com treinamentos, palestras e atendimentos individuais de profissionais com formação e sensibilidade para serem lideres na criação deste novo mundo do trabalho. Abaixo você tem acesso ao que propõe cada um deles.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page